08/12/2016

Por seis votos a três, o Supremo Tribunal Federal decidiu não afastar o senador Renan Calheiros da presidência do Senado. O ministro Marco Aurélio Mello criticou a Corte e o Senado pela decisão.

O Supremo saiu, a meu ver, como a última trincheira da cidadania, desgastado. Também saiu desgastado o Senado”, disse em entrevista ao Jornal da Manhã. “As gerações futuras e a história serão cobradoras impiedosas (...) Não vejo com bons olhos a decisão do tribunal”, completou.

O ministro atendeu a um pedido liminar feito pela Rede Sustentabilidade e afastou Renan Calheiros (PMDB-AL) do cargo por pouco tempo. A alegação da Rede é de que Renan não poderia estar na linha de sucessão da presidência da República por ser réu em ação penal. Marco Aurélio afirmou que o que credencia o senador a assumir a presidência é seu cargo como chefe do Senado.

Marco Aurélio também alegou que, em sua decisão, frisou que se pulasse o Senado, neste caso, para que o presidente do Senado não viesse, devido a alguma eventualidade, assumir a cadeira de chefe de Estado. “Nós precisamos corrigir rumos e, para corrigir rumos e chegar a dias melhores, há de se respeitar a lei das leis da República, que é a Constituição”, disse.

O ministro do Supremo também negou que tenha ocorrido uma negociação para determinar uma saída para qualquer impasse criado.

Fonte: noticiasaominuto
Post: G. Gomes
Canal: www.deljipa.blogspot.com.br
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Faça seu Comentário, com responsabilidade:

Entre com o Email

Seja o primeiro a saber

Utilidades











Instagram


Top Comentaristas

Os Mais Acessados