12/01/2017

Segundo o Folha politica o ‘”Juiz de Execuções Penais há 17 anos", Luís Carlos Valois se colocou no epicentro da crise carcerária em Manaus, que resultou na morte, até o momento, de 64 custodiados. 

Valois esteve no Complexo Penal Anísio Jobim (Compaj) durante a revolta do domingo, chamado pelo secretário de Segurança Pública Sérgio Fontes para negociar o fim do motim. O magistrado, de 49 anos, notabilizou-se por uma declarada proximidade com os presos, com os quais já jogou bola.

 Ele também doou livros para a biblioteca de prisão, treinou judô com os detentos e participou até de sessões de terapia de grupo com os encarcerados, segundo suas palavras.

Valois é alvo de uma investigação no Superior Tribunal de Justiça (STJ), depois que seu nome foi mencionado em conversas de presos interceptadas pela Operação “La Muralla”, da Polícia Federal, de 2015.

Nos diálogos, presidiários ligados à facção criminosa Família do Norte (FDN) manifestam preocupação com a possibilidade de o magistrado deixar a Vara de Execução Penal e discutem como poderiam pressionar Judiciário e governo estadual a mantê-lo no cargo. Por ora, não há evidência de envolvimento do juiz com os criminosos. Valois nega qualquer relacionamento com a FDN.”

Conteúdo: Folha Politica
Post: G. Gomes
Canal: www.deljipa.blogspot.com.br
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Faça seu Comentário, com responsabilidade:

Entre com o Email

Seja o primeiro a saber

Utilidades











Instagram


Top Comentaristas

Random Posts

Os Mais Acessados