16/05/2017

O ex-presidente da OAS José Adelmário Pinheiro, o Léo Pinheiro, entregou à Justiça, nesta segunda-feira, 15, ‘registros de encontros’ com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com o presidente do Instituto Lula Paulo Okamotto e com o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, e-mails e documentos internos da empreiteira e mensagens do telefone celular do executivo. A defesa de Léo Pinheiro afirmou que os registros dos encontros estavam na agenda dos celulares do empreiteiro.

Um dos arquivos entregues por Léo Pinheiro tem 41 páginas. O documento indica três reuniões no Instituto Lula: em 23 de Fevereiro de 2012, em 27 de julho de 2012 e 16 de Abril de 2013.


LEIA AGORA O REGISTRO DOS ENCONTROS QUE LULA NEGA:



OS DOCUMENTOS INTERNOS DA OAS DIZEM O RESTO




O material foi anexado à ação penal na qual Léo Pinheiro e Lula são réus. Os documentos foram entregues com o objetivo de corroborar o depoimento do empreiteiro. Ao juiz federal Sérgio Moro, o executivo afirmou que o triplex ‘era de Lula’.


Segundo a denúncia da Lava Jato, em Fevereiro de 2014, Léo Pinheiro solicitou a Fábio Yonamine, então presidente da OAS Emprrendimentos que o apartamento 164-A do Condomínio Solaris fosse preparado ‘com sua limpeza e retoques na pintura’ para a visita de Lula. No dia da visita, afirma a força-tarefa da Lava Jato, Fábio Yonamine encontrou Léo Pinheiro e foram no mesmo carro para São Bernardo do Campo/SP, onde encontraram Lula e a ex-primeira-dama Marisa Letícia (morta em fevereiro de 2017). De lá, seguiram todos para o Condomínio Solaris, em Guarujá/SP. Em depoimento a Moro, Lula confirmou que esteve uma vez no triplex, em fevereiro de 2014.

Na agenda de Léo Pinheiro, há a indicação de encontro com Fabio Yonamine entre 1 e 2 de fevereiro. “Res. Dr. Léo – Após ir para o Guarujá.”  

Em outra mensagem entregue à Justiça, um interlocutor diz a Léo Pinheiro em 6 de junho de 2014. “Léo, amanhã vou pra o nosso tema para esvaziar o lago para impermeabilizar. Eles, eu soube que vão estar lá para acompanhar a despesca. Mas não tenho certeza. Se desejar podemos combinar.”
Segundo o Portal da Transparência, um dos seguranças de Lula esteve em Atibaia entre 6 e 10 de Junho.


Lula é acusado pelo Ministério Público Federal de receber R$ 3,7 milhões em benefício próprio – de um valor de R$ 87 milhões de corrupção – da empreiteira OAS, entre 2006 e 2012. As acusações contra Lula são relativas ao recebimento de vantagens ilícitas da empreiteira por meio do triplex 164-A no Edifício Solaris, no Guarujá (SP), e ao armazenamento de bens do acervo presidencial, mantido pela Granero de 2011 a 2016. O petista é acusado de lavagem de dinheiro e corrupção.

Uma das mensagens anexada por Léo Pinheiro é de 22 de fevereiro de 2014. O empreiteiro conversa com a filha e escreve. “Voltando de SBC. Trânsito horroroso no Ibirapuera.”

Esse é apenas um trecho da reportagem produzida pelo Estadã, outras informações das mentiras e dos esquemas de roubalheira de Lula e do PT  serão trazidos ao público gradativamente.

Informações: Estadão
Por:Julia Affonso, Ricardo Brandt, Luiz Vassallo e Fausto Macedo
Capa: http://encurtador.com.br/pvHM3
edição: G. Gomes
Canal: www.deljipa.blogspot.com.br
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Faça seu Comentário, com responsabilidade:

Entre com o Email

Seja o primeiro a saber

Utilidades











Instagram


Top Comentaristas

Os Mais Acessados