03/08/2017

Um dia depois de ser flagrado pedindo para alguém com quem conversava, por meio de um aplicativo de bate-papo no celular, mostrar a bunda, o deputado federal Wladimir Costa (SD-PA), o mesmo que tatuou o nome do presidente da República no ombro, disse que a conversa não tinha cunho sexual.

A cena foi registrada durante a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, ocorrida nessa quarta-feira (2), no plenário da Câmara.

O parlamentar contou que estava conversando com uma jornalista, que insistia para que ele tirasse a blusa, durante a sessão, e mostrasse a tatuagem de hena. Ele, então, teria explicado que não faria isso, alegando respeito aos brasileiros e ao decoro. Diante da insistência da suposta profissional, Costa teria reagido e, de forma irônica, feito o pedido.

“Somente antes de ontem ela pediu mais de 15 vezes, gente. Ontem foram mais de 20 vezes. ‘Deputado, tira a camisa’. Como é que vou tirar a camisa? Tenho que respeitar a família brasileira. Nós temos o decoro parlamentar, nós temos regras dentro da Câmara. E, mesmo que não houvesse regras, que determinam nosso comportamento, eu jamais chegaria a uma situação dessa sem limite”, argumentou, de acordo com informações do portal Uol.

Para ele, não houve comportamento inadequado em plenário. “Nada [de errado]. O bumbum mais bonito que existe está lá em casa para eu ver, que é o da dona Amanda, minha esposa”, defendeu-se.

Informações: NBO
Post: G. Gomes
Para: www.deljipa.blogspot.com.br
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Faça seu Comentário, com responsabilidade:

Entre com o Email

Seja o primeiro a saber

Utilidades











Instagram


Top Comentaristas

Random Posts

Os Mais Acessados