05/08/2017


Peritos criminais da Polícia Técnico-Científica (POLITEC) de Vilhena apresentaram nesta quinta-feira, 03, em uma reunião realizada no auditório do Quartel do 3º Grupamento do Corpo de Bombeiros, em Vilhena, o projeto piloto do Sistema Multi-Biométrico elaborado em parceria com a Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (SESDEC).

Na reunião, que contou com a presença de representantes dos órgãos de segurança pública estaduais e federais, os Peritos Criminais Guido Herrmann e Franclin Barros esmiuçaram o programa que tem como um dos objetivos a criação de um banco de dados multi-biométrico interligado com o sistema nacional de biometria digital. Tal sistema visa agilizar a identificação de infratores e, consequentemente, a elucidação dos crimes cometidos no Cone Sul.

Franclin relatou que o banco de dados criado pelo programa armazenará informações dos diversos métodos de identificação pessoal existentes, como: digitais, DNA, retina, voz, pegadas, grafismos e face, além de características adicionais, como estatura, cor da pele, tatuagens, cicatrizes, entre outros.

Ainda segundo Franclin, o programa, que está em fase experimental, tem como um dos objetivos iniciais, a coleta e armazenamento dos referidos dados de indivíduos encarcerados, porém, tem como ambição a inclusão geral de todos os cidadãos que venham a efetuar cadastro no banco nacional de biometria, com a confecção de carteira de identidade, carteira de trabalho, carteira nacional de habilitação entre outros. O uso portátil de identificadores biométricos interligados ao sistema, por policiais estaduais e federais e em órgãos de segurança pública, também é um dos objetivos do programa.

Como exemplo de eficiência do programa, o perito mostrou diversos crimes elucidados cometidos na região que deixaram vestígios importantes, como altura e DNA dos infratores, que poderiam ter sido resolvidos mais rapidamente caso o almejado Sistema Multi-Biométrico já estivesse em funcionamento.

Também foi usada como exemplo a chacina ocorrida em Cabixi, onde a elucidação se deu por provas materiais, tais como impressões papilares e material genético deixados na cena do crime, que ao serem confrontadas com as dos suspeitos, confirmaram a autoria dos mesmos. Caso não houvesse suspeitos para coleta do material genético para a comparação, chegar aos autores seria mais difícil, mas com a existência do Sistema Multi-Biométrico, essa confrontação seria possível mesmo sem a presença de suspeitos.

O embrião do projeto, semelhante ao usado pelo FBI, já está em condições para a realização da coleta dos dados necessários para o abastecimento do sistema, mas de acordo com os responsáveis, ainda é necessário terminar a programação do sistema, o que requer mão de obra especializada e que possui um custo ainda não disponibilizado pelas secretarias organizadoras do projeto.

Para finalizar, Guido Herrmann afirmou, que além do apoio das entidades presentes na reunião de apresentação do programa, especialmente o Poder Judiciário e Ministério Público, o projeto está aberto a patrocínios de empresas privadas, como bancos e associações comerciais, que queiram apoiar a implantação do sistema, que viabilizará não somente a agilidade na elucidação dos crimes, como também, a recuperação dos bens subtraídos dessas instituições, que são os principais alvos de facções criminosas.

Marcaram presença na apresentação do projeto: Dr. Adriano – juiz da 2° Vara criminal de Vilhena, Dr. João Paulo – Promotor de Justiça, Fabio Campos – delegado regional, João Cláudio Nabas – perito criminal da Polícia Federal, Tenente Moacir e Capitão Guedes do Corpo de Bombeiro Militar, além de representantes do Ministério Público, Tiro de Guerra, Polícia Militar, Civil, Federal, Rodoviária Federal e POLITEC.

Informações: Politec
Redação: Extrarondonia
Post: G. Gomes
para: www.deljipa.blogspot.com.br
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Faça seu Comentário, com responsabilidade:

Entre com o Email

Seja o primeiro a saber

Utilidades











Instagram


Top Comentaristas

Random Posts

Os Mais Acessados