20/04/2018

General manda recado direto e reto a Gleisi Hoffmann sobre o vídeo sem noção
QUAL SERIA A PÁTRIA DESSA GENTE?
A Sra Gleisi Hoffmann pronunciou-se no canal de televisão da Al Jazeera para “denunciar” a prisão do corrupto Lula da Silva como sendo perseguição política em um processo “ilegal” que, segundo ela, dá continuidade ao “golpe” que tirou, Dilma Rousseff, a corrupta inepta, da Presidência da República.

A Procuradoria Geral da República avalia o fato, reportado em vídeo, para verificar se é o caso de caracterizá-lo como “crime de lesa-pátria”.

Na letra fria da Lei de Segurança Nacional e da lógica do patriotismo, o crime está caracterizado, resta, no entanto, definir qual seria a pátria dessa senhora, ela também investigada por crime de corrupção contra o povo brasileiro, o PT? A Venezuela? Cuba? A entidade chamada Comunismo Internacional ou o Foro de São Paulo?

Com certeza o Brasil não é a pátria da Sra Gleisi, nem tampouco é a do Sr Lula da Silva, já que ambos, unidos a seus comparsas dentro e fora do Brasil, roubaram inescrupulosamente a Pátria dos brasileiros.

Roberto Requião, Lindberg Farias, Benedita da Silva e o Comandante Stédile, do “exército” do MST, são alguns dos comparsas que complementam a apologia da violência pregada pela Sra Hoffmann, a partir de agora, até com o possível concurso do terrorismo islâmico.

Qual seria a pátria dessa gente? O Brasil, repito, certamente, não é!!!

Gen Bda Paulo Chagas

O vídeo da Senadora sem noção:
Via: Nbo
Post: G. Gomes
Canal: www.deljipa.blogspot.com.br
Ele nega, mas Joesley diz que pagou mesada de R$ 50 mil para Aécio por dois anos
© Marcos Oliveira/Agência Senado
Em declaração à Procuradoria-Geral da República, o empresário Joesley Batista que pagou R$ 50 mil por mês a Aécio Neves (PSDB-MG), ao longo de dois anos. Os repasses foram feitos por meio de uma rádio da qual o senador era sócio. Segundo Joesley, o tucano solicitou os pagamentos durante um encontro no Rio e teria dito que usaria o dinheiro para "custeio mensal de suas despesas".

De acordo com a reportagem da Folha de S. Paulo, o dono da JBS apresentou 16 notas fiscais emitidas entre 2015 e 2017 pela Rádio Arco Íris, afiliada da Jovem Pan em Belo Horizonte. Os comprovantes citam a prestação de "serviço de publicidade" e trazem a descrição de que o valor mensal era de "patrocínio do Jornal da Manhã", um dos programas da rádio.

No total, a JBS pagou à rádio da família de Aécio R$ 864 mil.

Joesley disse ao aos procuradores não saber se algum serviço de publicidade foi de fato prestado pela rádio Arco Íris. No entanto, o empresário reforçou que o objetivo dele foi repassar os R$ 50 mil mensais a fim de manter um bom relacionamento com o senador, que tinha sido candidato à Presidência em 2014 e poderia voltar a ser em 2018.

A reportagem destaca que as notas fiscais mencionam o valor de R$ 54 mil, mas no anexo à PGR Joesley cita R$ 50 mil. O dono da JBS não esclarece se a diferença era imposto a ser abatido para repassar o valor exato que teria sido solicitado pelo tucano. O primeiro pagamento registrado é de Julho de 2015, mais de um ano depois do início da Operação Lava Jato. O último, de Junho de 2017.

Além das notas fiscais, o empresário apresentou os respectivos comprovantes de pagamentos, feitos via transferência eletrônica ou boleto bancário. Os pagamentos saíram da conta da JBS S.A. direto para a da Rádio Arco Íris Ltda.

RESPOSTA

Em nota, o advogado de Aécio Neves, Alberto Toron, afirmou que Joesley Batista se aproveita de uma "relação comercial lícita" para "forjar mais uma falsa acusação". A defesa do senador confirmou a relação financeira entre JBS e a rádio Arco Íris e negou que o tucano tenha solicitado os recursos para despesas pessoais.

"O senador jamais fez qualquer pedido nesse sentido ao delator, da mesma forma que, em toda a sua vida pública, não consta nenhum ato em favor do grupo empresarial", diz a nota.

O advogado diz ainda que a prova de que a relação com a rádio era legal é que o contrato com a JBS foi mantido normalmente até o encerramento, quando a delação de Joesley já tinha sido feita.

Toron reafirma que o relato é mais uma demonstração de má-fé e desespero do delator. "A afirmação do delator de que não sabia se os serviços teriam sido prestados demonstra o alcance da sua má-fé, já que bastaria uma consulta ao setor de comunicação das suas empresas para constatar que os serviços foram correta e efetivamente prestados", disse.

A rádio Arco Iris se disse "surpresa" com o relato de Joesley por tentar "dar caráter político a uma relação estritamente comercial, comprovadamente correta, legal e legítima na prestação de serviços publicitários". Em resposta à Folha, a rádio apresentou cinco comerciais veiculados na grade de programação e disse ainda que há campanhas promocionais "gravadas com a voz do locutor da rádio".
Informações: Folha de S. Paulo
Via: N.ao.M
Post: G.GomesCanal
 www.deljipa.blogspot.com.br
Fim de show - DJ Avicii morre aos 28 anos - Assista alguns sucessos dele.
© Getty Images
O DJ sueco Avicii morreu nesta sexta-feira (20/08/2018), aos 28 anos. A informação foi confirmada pela representante do artista, Diana Baron, em comunicado à imprensa.

"É com profundo pesar que anunciamos a perda de Tim Bergling, também conhecido como Avicii", disse ela. "Ele foi encontrado morto em mascate, Omã [no Oriente Médio]", complementou.

A assessora ainda comentou que "a família está devastada e nós pedimos o favor de que a privacidade seja respeitada neste tempo difícil", acrescentou.

De acordo com informações do jornal "O Globo", o DJ sueco se aposentou das turnês internacionais em 2016, alegando desgaste e que precisava se recuperar dos efeitos colaterais de uma carga excessiva de trabalho. Em 2014, ele precisou operar a vesícula e teve uma pancreatite aguda causada por alcoolismo.

Avicii é dono de "Wake Me Up", que chegou ao top 10 da Billboard.

Relembre também:

Informações: Globo
Videos: YouTube
Post: G. Gomes
Canal: www.deljipa.blogspot.com.br
Justiça Federal torna Sérgio Cabral réu pela 23ª vez na Lava Jato - toma ladrão!
A juíza federal Caroline Figueiredo, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, tornou hoje (20) o ex-governador Sérgio Cabral réu pela 23ª vez, em desdobramento da Operação Lava Jato. Desta vez, o ex-governador e mais 25 pessoas são acusadas de corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa na Operação Pão Nosso – deflagrada no mês passado, que revelou ramificação da organização criminosa em contratos da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

Cabral responde por corrupção passiva por, de acordo com a denúncia do Ministério Público Federal, ter aceitado promessa e recebido pelo menos R$ 1 milhão do então secretário da Seap, o coronel reformado da Polícia Militar César Rubens Monteiro de Carvalho, e do ex-subsecretário Marcos Vinicius Lips, que também viraram réus. Mesmo com diversas irregularidades apontadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), o então secretário à época renovou o fornecimento de refeições para os presídios com a empresa Induspan, de propriedade de Carlos Felipe Paiva, outro denunciado no esquema.

Propina para Cabral

Um dos operadores financeiros de Sérgio Cabral revelou, em colaboração premiada, que parte da propina recebida na Seap era repassada ao ex-governador, mas sem a definição de percentual fixo como identificado em outras secretarias já investigadas. 

Segundo a denúncia, para receber a propina, Carvalho utilizava duas empresas das quais era sócio, a Intermundos Câmbio e Turismo e a Precisão Indústria e Comércio de Mármores. O sócio dele é Marcos Lips, apontado como responsável pela entrega de dinheiro em espécie ao núcleo central da organização criminosa que operava no estado do Rio de Janeiro na gestão do ex-governador Sérgio Cabral.

Fonte: Agência Brasil
Capa:encurtador.com.br/mtv45
Post: G. Gomes
Canal: www.deljipa.blogspot.com.br
Ex-ministro relata pressão de Aécio Neves para nomear delegado da Polícia Federal
(Foto/PMDB 19/08/2015)

O Ex-Ministro Osmar Serraglio, que ocupou o cargo de Ministério da Justiça no governo Temer, confirmou denúncia da Procuradoria-Geral da República de que o senador Aécio Neves tentou alterar o curso de investigações na Lava Jato.

De acordo com a coluna Poder em Jogo, do jornal O Globo, o deputado acusou o tucano de pressioná-lo, quando ministro, para nomear um delegado da Polícia Federal “de sua preferência para investigar suas ações delituosas”.

O Supremo Tribunal Federal decidiu nesta semana tornar o senador réu por corrupção passiva e obstrução de Justiça.

Em conversa gravada por Joesley Batista, Aécio desqualificou a nomeação de Serraglio e se referiu ao então ministro com palavrões.

A assessoria de Aécio Neves foi procurada pela coluna, mas não conseguiu contato com o tucano até o fechamento dessa matéria.

Informações: Yahoo Noticias
Post: G. Gomes
Canal: www.deljipa.blogspot.com.br

19/04/2018

NBO fala da "Prisão" de Paulo Maluf - Escárnio com o povo brasileiro.
(Foto google)
Não cabem mais recursos para Paulo Maluf, mas o relator Edson Fachin propôs a concessão de HC de ofício ao deputado afastado para mantê-lo em prisão domiciliar (como determinou Dias Toffoli, alegando razões “humanitárias”), não na cadeia (como o próprio Fachin havia determinado).

Paulo Maluf (PP-SP) . O parlamentar vive em uma mansão em São Paulo, na região dos Jardins

A casa de Maluf valia, segundo declaração de bens fornecida ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), R$ 1,8 milhão — são dois imóveis, sendo um de R$ 1,344 milhão e outro de R$ 463 mil. Geralmente, os políticos declaram o valor venal dos bens, ou seja, uma estimativa do preço real do imóvel ou do carro, por exemplo.

O valor real, portanto, é bem maior que o valor venal. O valor do metro quadrado na área onde Maluf mora é de R$ 9.326, segundo o indicador FipeZap.

Além da casa gigantesca (foto) em São Paulo, Maluf tem, segundo a declaração à Justiça Eleitoral, R$ 39,5 milhões em bens, incluindo carros, aplicações em bancos nacionais e do exterior, imóveis e até cavalos.

Informações: Nbo
Capa: Google
Post: G. Gomes
Canal: www.deljipa.blogspot.com.br
Ministro contra o povo pede inclusão de ação sobre prisão em 2ª instância na pauta do STF - Advinha quem!
O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), pediu na tarde desta quinta-feira a inclusão na pauta do plenário da corte a ação movida pelo PCdoB que defende a revisão da execução da pena após a condenação e o fim dos recursos em segunda instância.

O partido apresentou a ação na terça-feira e usou como argumento o caso envolvendo a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Caberá à presidente do STF, Cármen Lúcia, decidir quando fará a inclusão do processo na pauta.

Essa é a terceira ação declaratória de constitucionalidade (ADC) que busca rediscutir o entendimento firmado pela corte, em 2016, sobre a possibilidade de se executar pena após o fim dos recursos em segunda instância.

As duas outras, também relatadas por Marco Aurélio, foram apresentadas pelo Partido Ecológico Nacional (PEN) e pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e esperam a inclusão na pauta do plenário desde Dezembro.

A presidente do Supremo tem resistido a pautar esse tipo de ação por entender que não há motivos para a corte reavaliar um assunto dois anos depois de ter firmado um entendimento.

Fonte: Reuters
Por: Ricardo Brito
Post: G. Gomes
Canal: www.deljipa.blogspot.com.br
Capa:encurtador.com.br/hjrs8
Brasil fabricará remédios contra HIV e hepatite C para ofertar no SUS
Medicamentos contra a hepatite C e o HIV serão produzidos no País por meio de parcerias firmadas pelo Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos), vinculado à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). A medida vai gerar economia aos cofres públicos, visto que atualmente o Brasil importa os itens.

Serão desenvolvidos três antivirais voltados para o combate à hepatite C: Simeprevir, Daclastavir e Sofosbuvir. Este último tem contribuído para a cura de muitos pacientes e a consequente redução de demanda pelo transplante de fígado. O imunossupressor Everolimo, determinante para evitar a rejeição de órgãos transplantados, também será feito.

O quinto medicamento é a pílula antirretroviral baseada nas substâncias Emtricitabina e Tenofovir. O remédio é usado na profilaxia pré-exposição (PrEP) ao HIV. A expectativa é que o Sistema Único de Saúde já distribua o Sofosbuvir, o Everolimo e a pílula da PrEP no segundo semestre deste ano.

Parceria firmada por instituto ligado à Fiocruz proporcionará economia aos cofres públicos.

Fonte: Portal Brasil
Post: G. Gomes
Canal: www.deljipa.blogspot.com.br
+ Corrupção: Empresário diz à PF que coronel Lima arrecadava dinheiro para Temer
© Reuters
Em depoimento à Polícia Federal no início de abril, após a deflagração da Operação Skala, o empresário Gonçalo Torrealba, proprietário do Grupo Libra, afirmou que o coronel aposentado da Polícia Militar João Baptista Lima Filho arrecadava dinheiro para campanhas eleitorais do presidente Michel Temer, de quem é amigo de longa data.

De acordo com o depoimento, que está sob sigilo, coronel Lima pediu dinheiro, em nome de Temer, a empresas do porto de Santos (SP). A informação é do jornal "O Globo" e foi confirmada pela reportagem do jornal O Estado de S. Paulo.

De acordo com o jornal carioca, Torrealba disse aos investigadores que o coronel Lima solicitou repasses de recursos financeiros a uma campanha eleitoral de Temer ao cargo de deputado federal em uma visita à sede do grupo Libra há mais de 15 anos. Se verdadeira, a informação corrobora os depoimentos prestados pelos irmãos Batista, do grupo J&F, que, em colaboração premiada, afirmaram que o coronel era quem arrecadava dinheiro para Temer.

Em 18 de Janeiro, ao responder a 50 perguntas elaboradas pela Polícia Federal no âmbito do inquérito que investiga se a empresa Rodrimar, que opera no Porto de Santos, foi beneficiada por decreto assinado por Temer em Maio, o presidente afirmou que o coronel nunca havia atuado na arrecadação de recursos.

"O Sr. João Batista me auxiliou em campanhas eleitorais, mas nunca atuou como arrecadador de recursos", disse Temer. "Nunca realizei negócios comerciais ou de qualquer outra natureza que envolvesse a transferência de recursos financeiros para o Sr. João Batista Lima Filho", completou.

O presidente disse ainda nunca ter solicitado que Rodrigo Rocha Loures, João Batista Lima Filho ou José Yunes recebessem recursos em seu nome em retribuição pela edição de normas contidas no Decreto dos Portos.

No depoimento, Torrealba afirmou à autoridade policial que recusou fazer o repasse ao presidente. À PF, afirmou ter dito ao Coronel Lima que a empresa não realizava doações para candidaturas individuais, apenas para partidos.

Em relatório de Dezembro de 2017, a PF havia mapeado doações da família Torrealba ao diretório nacional do MDB. Em 2006, foram doados R$ 75 mil. Na campanha de 2010, a família doou R$ 500 mil ao diretório nacional. Já em 2014, quando Temer presidia o partido, o repasse foi de R$ 2 milhões. Segundo "O Globo", o empresário disse à PF que as doações não buscaram contrapartida com o governo e que manteve apenas relações dentro da lei.

À PF, Torrealba afirmou, ainda, que em 2015 solicitou ajuda do Coronel Lima para marcar uma reunião com o então ministro da Secretaria dos Portos, Edinho Araújo, que confirmou ter se encontrado com o empresário para tratar da prorrogação dos contratos da empresa.

Defesa

A reportagem buscou resposta do presidente Michel Temer sobre a declaração do empresário, mas não havia recebido resposta até a publicação desta matéria. O espaço se encontra aberto para manifestação do Planalto.

Informações: O Globo/ O Estado de S. Paulo
Via: N.ao.M
Post: G. gomes
Canal: www.deljipa.blogspot.com.br
Lei que aumenta pena para motorista embriagado entra em vigor
Começou a valer nesta quinta-feira (19/04/2018) a lei que amplia as penas para os motoristas que dirigem sob o efeito de álcool ou outras drogas e provocam acidentes de trânsito que resultam em homicídio culposo ou lesão corporal grave ou gravíssima.

A partir de agora, o condutor nessas condições que cometer o homicídio culposo no trânsito (sem intenção de matar) poderá cumprir pena de 5 e 8 anos de prisão. Antes, essa pena variava de 2 a 5 anos de prisão. Quando o crime for comprovado, o motorista também não poderá obter permissão ou habilitação para dirigir veículo novamente.

No caso de lesão corporal grave ou gravíssima, a pena de prisão foi ampliada para 2 a 5 anos, antes ela variava entre seis meses e dois anos. Além disso, foi incluído a possibilidade de suspensão ou perda do direito de dirigir.

A lei ainda faz alterações no Código Brasileiro de Trânsito (CBT) e passa a tipificar como crime de trânsito a participação em corridas em vias públicas, os chamados rachas ou pegas. 

Mudança em lei também tipifica crime de trânsito a participação em corridas em vias públicas.

Fonte: Portal Brasil
Post: G. Gomes
Canal: www.deljipa.blogspot.com.br

Top Acessos