29/07/2017

Uma mulher que foi flagrada tentando entrar no Complexo Penitenciário da Mata Escura, em Salvador, com um aparelho celular escondido na vagina foi absolvida pela Justiça nesta quinta-feira (27). A decisão não cabe recurso.

A decisão do juiz de direito Icaro Almeida Matos, da 1ª Vara Criminal Especializada de Salvador, considerou que a prova do crime foi conseguida através de "revista vexatória", violando direitos fundamentais. A tentativa aconteceu na manhã do dia 9 de setembro de 2013.

"Conforme se verifica do depoimento da testemunha ouvida nesta assentada, a localização do celular apenas foi concretizada com a realização da intitulada "revista vexatória", em que houve o desnude total da ré, a utilização de lanternas, com vasculha às partes íntimas, que gozam de potencialidade protetiva constitucional", afirmou o juiz Almeida Matos.

De acordo com o Correio da Bahia, o magistrado afirmou que a descoberta de uma ação ilegal não pode surgir com o uso de atos ilícitos por parte do estado. "A revista mencionada foi feita sem observância de direitos fundamentais, o que torna o ato da apreensão ilícito e, consequentemente, faz desaparecer qualquer supedâneo probatório consistente a legitimar uma condenação", disse o juiz.

A mulher foi absolvida com base no Art. 386 do Código de Processo Penal, por "não existir prova suficiente para a condenação".

Post: G. Gomes
Ilustração: Google
Informações: Noticiaominuto
Para: www.deljipa.blogspot.com.br
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Faça seu Comentário, com responsabilidade:

Entre com o Email

Seja o primeiro a saber

Utilidades











Instagram


Top Comentaristas

Random Posts

Os Mais Acessados