05/05/2017

O juiz Sergio Moro voltou a defender, em um despacho da 40ª fase da Lava Jato, a necessidade das prisões preventivas na operação.

Na quinta (4), foi deflagrada a fase Asfixia, em que foram presas quatro pessoas, sendo duas de maneira preventiva (sem prazo determinado).

Na ordem de prisão, Moro lembrou alvos anteriores da Lava Jato e afirmou que "apenas a prisão preventiva foi capaz de encerrar as suas carreiras delitivas" -ele citou os casos dos operadores Alberto Youssef, Fernando Soares, Milton Pascowitch, entre outros.

"Em que pesem as críticas genéricas às prisões preventivas decretadas na assim denominada Operação Lavajato, cumpre reiterar que atualmente há somente sete presos provisórios sem julgamento", escreveu.

Moro sustenta que as prisões, "embora drásticas", serviram para parar a atividade do cartel das empreiteiras e "o pagamento sistemático pelas maiores empreiteiras do Brasil de propinas a agentes públicos, incluindo o desmantelamento do departamento de propinas de uma delas" -em referência à Odebrecht.

O despacho de Moro veio a público esta quinta (4), mas já tinha sido assinado em Abril, antes, portanto, de recentes decisões do Supremo Tribunal Federal que liberaram presos da Lava Jato.

Na terça (2), o STF autorizou que o ex-ministro José Dirceu, detido desde 2015, saísse da cadeia.

É isso,mesmo, só muita cadeia e multas multas pode acabar com essa bandidagem na política brasileira, que se tornou o mal exemplo para tudo de ruim que acontece no Brasil.

Informações: Folhapress
Edição: G. Gomes
canal: www.deljipa.blogspot.com.br
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Faça seu Comentário, com responsabilidade:

Entre com o Email

Seja o primeiro a saber

Utilidades











Instagram


Top Comentaristas

Os Mais Acessados